• Fabrício Proença

A esperança espinhosa

Originário das selvas do Peru e do Equador, o Katydid espinhoso (Panacanthus cuspidatus) é uma curiosa espécie de esperança. Isso mesmo, uma esperança! Inseto pertencente a uma ampla e diversificada família de ortópteros.

O que logo chama a atenção nesse inseto são seus numerosos espinhos presentes em partes do corpo aparentemente desconfortáveis. Do alto da cabeça cônica sai um chifre vermelho com três pontas que lembram a coroa de um rei caricato. A lateral da cabeça e as pernas articuladas também são recobertas por espinhos.

Quando amedrontados, os katydids esticam e abrem as pernas da frente, fazendo movimentos que expõem seu arsenal espinhento.

Tal estratégia, chamada de comportamento deimático, inibe qualquer ameaça, afugentando predadores e curiosos enxeridos.


O Panacanthus cuspidatus emite menos estrídulos e sons que o normal. Alguns estudos sugerem que os numerosos espinhos que adornam seu corpo tenham surgido a partir de estruturas de fricção usadas por muitos ortópteros na produção de sons por estridulação. Por isso, são mais quietinhos que os outros representantes de sua família.

Além do corpo espinhoso, esses katydids possuem mandíbulas poderosas, que usam em sua alimentação de sementes e frutas.

Podem usá-las também para morder intrusos mais ousados, machucando inclusive a pele dos seres humanos.


Existem outras quatro espécies pertencentes ao gênero Panacanthus, todas igualmente espinhentas: o P. pallicornis, P. tuberculatus, P. spinosus e P. varius. Como são insetos raros, o conhecimento acerca de sua história natural ainda é escasso em dados e informações sobre comportamento e evolução.


Por Fabrício Proença

Biólogo e professor de Ciências


#ortopteros #orthoptera #insecta #insetos #esperanças #katydids #arthropoda

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo