• Fabrício Proença

Edward Jenner e a descoberta da vacina

Atualizado: 26 de Nov de 2020

Vacinas são preparações biológicas cujo conteúdo, ao ser inoculado, desencadeia uma resposta ativa capaz de gerar uma memória imunológica contra uma determinada doença. Descubra a história por trás da descoberta dessa forma de imunização que já salvou milhões de vidas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou em 1980 a erradicação de uma das mais devastadoras doenças da história, a varíola. Isso aconteceu graças à eficácia das campanhas de vacinação que permitiram a imunização de grande parte da população. Uma vitória da medicina sobre uma enfermidade que tirou a vida de cerca de 500 milhões de pessoas apenas no século XX.


Varíola bovina

Foi através das pesquisas e experiências de um médico inglês chamado Edward Jenner, em 1796, que a vacina contra a varíola foi descoberta. Nascido em Berkeley, no condado de Gloucestershire, Edward Jenner resolveu analisar o fato da varíola não acometer mulheres que trabalhavam na ordenha de vacas. Ele percebeu que as vacas manifestavam uma versão da varíola capaz de gerar feridas nas tetas e prejudicar a produção de leite.

Causada pelo vírus "vaccinia", a varíola bovina podia ser transmitida para seres humanos e desenvolver uma versão mais branda e não letal da doença.

As pessoas que pegavam o vírus da varíola bovina, de alguma forma ficavam imunes ao vírus da varíola humana, cujo vírus causador é o Orthopoxvírus variolae.


Métodos nada ortodoxos

A fim de testar essas observações, Jenner inoculou um menino de oito anos chamado James Phipps com pus extraído de feridas das mãos de uma mulher que havia contraído varíola bovina. O garoto apresentou febre e pequenas lesões pelo corpo, mas se recuperou rapidamente.


Depois disso, Jenner expôs Phipps a uma amostra do vírus da varíola humana extraído de um paciente doente. Como ele esperava o menino não desenvolveu a enfermidade.

Dessa forma, Jenner conseguiu provar que Phipps havia sido imunizado contra a varíola humana à partir do contato com o vírus "vaccinia".

Inicialmente, a Royal Society de Londres recebera seu trabalho com forte ceticismo, alegando faltarem provas suficientes de sua eficácia. Jenner, então, realizou testes em outras crianças, verificando o mesmo padrão de imunização após a exposição ao vírus da varíola bovina.


Reconhecimento da técnica

Os resultados foram posteriormente publicados no livro “An Inquiry into the Causes and Effects of the Variolae Vaccinae” (Um Inquérito sobre as Causas e os Efeitos da Vacina da Varíola) e, apesar de seus métodos terem gerado desconforto pelo fato de crianças terem sido testadas, a comunidade científica começou a dar-lhe mais atenção e crédito.


Logo, Edward Jenner passou a usar esse procedimento como medida preventiva contra a varíola.

Chamado de vacinação por causa do vírus "vaccinia" (do latim "vacca", que significa vaca), o método começou a gerar resultados positivos na prevenção da varíola, tornando-se a primeira de todas as vacinas.

Em 1821, Jenner foi nomeado Médico Extraordinário pelo rei George IV, uma grande honra nacional. Hoje, ele é conhecido como pai da Imunologia e o descobridor da vacina.


Por Fabrício Proença

Biólogo e professor de Ciências


#edwardjenner #jenner #imunização #imunologia #vacinas #vacinação #imunidade #variola

12 visualizações0 comentário
Tropical Leaves

Explore nosso conteúdo

Redes Sociais

Newsletter

Receba novidades e atualizações

©2020 Biodiversidades. Orgulhosamente criado com Wix.com

biodiversidades.site@gmail.com