• Fabrício Proença

Os movimentos do girassol

Sempre ouvimos falar que o girassol acompanha o sol ao longo de sua passagem pelo céu, apontando suas flores abertas sempre em direção ao astro rei. Mas será que isso realmente acontece?

Da mesma forma que todas as outras plantas, o girassol (Helianthus annuus) se curva em direção ao sol durante seu desenvolvimento.

A esse fenômeno é dado o nome de heliotropismo (do grego helio, "sol"; tropo, "girar" e ismo, "processo".)

Ação hormonal

Quando os ramos estão crescendo, um hormônio chamado ácido indolacético (AIA) tem sua produção e liberação estimuladas principalmente na área menos iluminada da planta, ou seja, do lado oposto à posição do sol. Esse hormônio atua no alongamento das células jovens, fazendo com que elas se estiquem.


Apontando para o sol

Dessa forma, ocorre um desenvolvimento desigual e o lado da planta que se alonga mais, curva a planta na direção oposta, apontando-a justamente para a fonte de luz.


Essa é uma importante adaptação para as plantas, uma vez que elas necessitam da luz para realizar a fotossíntese.

Ao longo de um dia, portanto, os ramos e folhagens mais jovens realmente acompanham o movimento do sol, numa dança lenta e quase imperceptível para os nossos olhos.

No caso dos girassóis, o fenômeno também acontece. Quando as flores ainda estão fechadas como botões, elas se curvam. Vale lembrar que os girassóis na verdade apresentam inflorescências denominadas capítulos, que são grandes discos contendo inúmeras flores pequeninas.

Quando abrem, os pesados discos florais do girassol acabam dobrando o caule em uma posição fixa, normalmente em direção ao leste, onde o sol nasce.

Por isso, quando olhamos um campo de girassóis, vemos a maioria das flores apontando para uma mesma direção, o que dá a impressão de que as flores estão em sincronia.


Por Fabrício Proença

Biólogo e professor de ciências


#girassol #sunflower #asteraceae #asteráceas #hormoniovegetal #auxinas #flores #plantas #flora

9 visualizações0 comentário
Tropical Leaves

Explore nosso conteúdo

Redes Sociais

Newsletter

Receba novidades e atualizações

©2020 Biodiversidades. Orgulhosamente criado com Wix.com

biodiversidades.site@gmail.com